Os tipos de investimentos em startups

Os tipos de investimentos em startups

Se para empresários é uma boa oportunidade de levantar capital, para investidores é a chance de diversificar as aplicações e arriscar uma valorização robusta no médio prazo, embora sempre haja o risco de a empresa não decolar. São várias opções, bootstrapping, que é o autofinanciamento, aceleradoras e venture capitals.

Confira abaixo os principais tipos de investimentos em startups:

 

Bootstrapping

Para aqueles que acompanham o mundo das startups, o bootstrapping é o primeiro passo dos investimentos. Neste caso, o empreendedor, ou o grupo de empreendedores, investe dinheiro do próprio bolso na empresa. Praticamente todas as startups começam o desenvolvimento de seu produto e operações piloto com esse sistema até conseguirem investimentos maiores.

 

Capital semente

Esta é uma boa fonte de recursos para empresas que ainda não estouraram, mas que já têm produtos ou serviços lançados no mercado e algum faturamento. O capital semente apoia startups em fase de implementação e organização de operações, muitos deles concebidos dentro de incubadoras de empresas. Neste estágio inicial, os aportes financeiros ajudam, entre outras funções, na capacitação gerencial (smartmoney) e financeira do negócio.

 

Investimento-Anjo

É o investimento efetuado por pessoas físicas com seu capital próprio em empresas nascentes com alto potencial de crescimento. O Investidor-Anjo tem como objetivo aplicar em negócios com alto potencial de retorno. O termo “anjo” é utilizado pelo fato de não ser um investidor exclusivamente financeiro que fornece unicamente o capital necessário para o negócio, mas por apoiar o empreendedor, aplicando seus conhecimentos, experiência e rede de relacionamento para orientá-lo e aumentar suas chances de sucesso.

 

Aceleradoras

Apesar de serem um tipo moderno de incubadoras de empresas, as aceleradoras têm uma metodologia mais complexa. O processo para participar das aceleradoras é aberto, e essas geralmente procuram por startups consistindo de um time para apoiá-los financeiramente, oferecer consultoria, treinamento e participação em eventos durante um período específico, que pode ser de três a oito meses. Em troca, as aceleradoras recebem uma participação acionária.

 

Incubadoras

As incubadoras representam um modelo mais tradicional de investimento a partir de um projeto ou uma empresa que tem como objetivo a criação ou o desenvolvimento de pequenas empresas ou microempresas, apoiando-as nas primeiras etapas de suas vidas. O processo de incubação inclui ajuda com a modelagem básica do negócio, ajuda com técnicas de apresentação, acesso a recursos, entre outros.

 

Venture Capital

É uma modalidade de investimento utilizada para apoiar negócios por meio da compra de uma participação acionária, geralmente minoritária, com objetivo de ter as ações valorizadas para posterior saída da operação. O risco se dá pela aposta em empresas cujo potencial de valorização é elevado e o retorno esperado é idêntico ao risco que os investidores querem correr.

 

Venture Building

O modelo mescla características das incubadoras, aceleradoras e venture capital, sendo que fornece todo o planejamento estratégico, a captação de recursos financeiros e humanos e estrutura física. O objetivo de uma venture builder não é apenas criar um produto, mas construir um negócio. Geralmente, a participação de uma venture builder numa startup é grande, chegando a 80% da estrutura acionária na fase inicial.

 

Equitycrowdfunding

Você investe seu dinheiro e, em troca, recebe participação na empresa e, portanto, o direito de compartilhar os sucessos e lucros futuros da empresa.A UpAngel é uma empresa de Equitycrowdfunding que ajuda startups encontrem o investimento que precisam e oferta para investidores a possibilidade de participar da empresa com valores bem acessíveis, a partir de R$350,00.

Cadastre-se gratuitamente na UpAngel e acompanhe as rodadas de investimentos e oportunidades de nossas Startups. >> http://bit.ly/CadastroUpAngel