Os principais tipos de investidores

Os principais tipos de investidores

 

Investidor Anjo (Angel Money) – É uma modalidade de fonte de financiamento que possui uma regra específica (Lei Complementar 155/16) e investem em pequenas startups ou empresários.

Os investidores anjos fornecem condições mais favoráveis em comparação a outros credores, tanto para o empreendedor como para o próprio investidor. Esses investidores estão focados em ajudar as startups a dar seus primeiros passos, e não tão objetivamente os possíveis lucros que podem obter do negócio em curto prazo.

Estes investidores são indivíduos que injetaram capital em startups em troca de participação societária ou dívida conversível em participação. Alguns investidores anjos também podem investir através de plataformas de crowdfunding on-line ou criam suas próprias redes de investidores para um grupo de capital.

 

Crowdfunding Equity – É uma modalidade de investimento conhecida como financiamento coletivo, pois a captação é feita através de micro investidores (normalmente via internet) e esses investidor recebem participação da sociedade.
As plataformas dessa modalidade de investimento, normalmente, liberam o recurso após atingir um valor predefinido (diminuindo o risco do micro investidor). Esse financiamento coletivo, também pode praticar outras modalidades de investimento como: ONGs, filantropia, cultura, caridade, pequenos negócios, ativismo, artes, games, entre outros. No caso de contribuições que não são consideradas empréstimos nem investimentos, são classificadas como doação ou permuta, mas as recompensas são intangíveis de retorno emocional/experiência e não possuem um retorno financeiro, inclusive em alguns casos (quando previstos na lei), podem ser abatidos na declaração de imposto de renda.

 

Corporate Venture – É uma modalidade de investimento especial de capital de risco em que as empresas não financeiras investem em empresas-alvo, como startups ou negócio com tecnologia agregada.
Neste caso, o foco é inovação, mas também olham para retorno sobre o investimento, ou seja, perseguem objetivos estratégicos no desenvolvimento de tecnologias ou campos comerciais novos ou complementares para aqueles em que a empresa já está ativa.

Este objetivo é muitas vezes descrito como “janela de tecnologia” para ter acesso rápido e melhor às inovações. Os objetivos das empresas-alvo compreendem o acesso ao financiamento adicional, bem como o fortalecimento dos canais de pesquisa e desenvolvimento ou marketing e distribuição.

O modelo apoia as empresas investidoras a atingirem seus objetivos estratégicos de fora para dentro sem vícios (open innovation).

 

Venture Capital – É uma modalidade de fonte de capital de risco em que os investidores oferecem às empresas iniciantes e às pequenas empresas que acreditam ter potencial de crescimento a médio e longo prazo.
O capital de risco geralmente vem de investidores, bancos de investimento e outras instituições financeiras. No entanto, como mencionado acima, esse tipo de investidor poderá agregar não apenas financeiramente, mas também em gestão, governança, estratégias, etc.

Embora possa ser arriscado para os investidores que colocam seu capital neste tipo de fundo, o potencial de retornos acima da média é um retorno atraente. Normalmente neste tipo de investimento a participação do fundo é minoritária.

 

Private Equity – O private equity é uma fonte de capital de investimento de pessoas e instituições de alto patrimônio líquido com o objetivo de investir e adquirir participações em empresas de maior porte.
Gestores de private equity coletam fundos e gerenciam este capital para produzir retornos favoráveis para seus clientes acionistas, geralmente com um horizonte de investimento entre quatro e sete anos (conforme legislação vigente).

Esses fundos podem ser usados na compra de ações de empresas privadas, ou em empresas públicas. O montante mínimo de capital necessário para os investidores pode variar dependendo da empresa e do fundo arrecadado. Normalmente, a saída do fundo destas empresas são através de IPO, vendas para fundos maiores ou para empresas estratégicas.

 

IPO – O termo IPO deriva do inglês Initial Public Offering que significa “Oferta Pública Inicial”.
O IPO é a primeira vez que as ações empresa privada é oferecido ao público através de uma bolsa de valores. Os IPO’s geralmente são emitidos por empresas com grande potencial de crescimento que buscam capital para expandir, mas também podem ser feitas por grandes empresas privadas que procuram tornar-se negociadas publicamente. Em um IPO, o emissor obtém a assistência de uma empresa de subscrição, o que ajuda a determinar o tipo de segurança a emitir, o melhor preço de oferta, o valor das ações a serem emitidas e o tempo para trazê-lo para o mercado.

 

Fonte: “https://www.valorebrasil.com.br/2017/09/28/quais-sao-as-principais-fontes-de-investimento-de-capital



Comente a matéria abaixo

Compartilhe esta notícia