Crescimento das Startups no Brasil

Crescimento das Startups no Brasil

Por trás das startups mais valiosas do Brasil, há um grupo de investidores com muito dinheiro no bolso e pouco medo de errar. Reunidos em fundos de investimentos, eles são especializados em garimpar ideias que podem virar negócios bilionários, como Nubank, Movile, Stone, 99, PagSeguro e Gympass – empresas brasileiras que se tornaram unicórnios por ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão em valor de mercado.

Em todo o Brasil, estima-se que existam cerca de 62 mil empreendedores e 6 mil startups. O número é mais do que o dobro registrado há seis anos, quando o país ainda começava a discutir o modelo e a perceber o nascimento do novo mercado. Em 2012, havia 2.519 startups cadastradas na Associação Brasileira de Startups (ABStartups). Em 2017, o número saltou para 5.147.

O maior número de startups brasileiras está concentrado nos estados de São Paulo (41%), Minas Gerais (12%) e Rio de Janeiro (9,7%).

Em 2018, o Brasil ganhou seus primeiros unicórnios, termo dado às startups que passam a valer mais de US$ 1 bilhão.  O feito foi alcançado inicialmente pelo aplicativo de transporte 99 e pela Nubank, startup que gerencia serviços financeiros, avaliada em mais de U$ 2 bilhões.

 

Modelo de empreendedor

O empreendedor hoje que está tendo um pouco mais de sucesso está entre 35 e 40 anos, é um empreendedor mais maduro, que muitas das vezes tentou um ou dois negócios e teve resiliência para continuar. Porque dificilmente no primeiro negócio vai dar 100% certo, mas o empreendedor brasileiro é bem diferente dos outros, ele é bem resiliente.

 

Destaques em Startups

Os setores que mais se destacam no setor de startups são educação (edutechs), agronegócio (agtechs), finanças (fintechs), internet, propaganda, comunicação, comércio eletrônico e saúde e bem-estar. Também há um número expressivo de startups nos setores de logística e mobilidade urbana, entretenimento, eventos e turismo

 

Equity crowdfunding

Investir em startups não é possível apenas para grandes companhias. Existem alguns projetos que ficam em plataformas do chamado equity crowdfunding (ou financiamento coletivo de empresas). É uma nova modalidade de investimento, que permite aplicar diretamente em startups, tornando-se um pequeno sócio delas. Os investimentos mínimos são baixos, a partir de 350,00 na UpAngel. Segundo a Equity, associação das plataformas do setor no Brasil, o volume de investimentos em startups por financiamento coletivo em 2018 cresceu quatro vezes em um ano: passou de uma média de R$ 5 milhões ao ano para R$ 20 milhões, de acordo com dados de julho.

E se você tem interesse em investir online, cadastre-se gratuitamente na UpAngel e acompanhe as rodadas de investimentos e oportunidades de nossas Startups. >> http://bit.ly/CadastroUpAngel



Comente a matéria abaixo

Compartilhe esta notícia